Cuidado, impotência

Impotência pode estar na origem de determinadas doenças graves

Varios homens, quando sentem primeiras sintomas da disfunção de ereção logo vão ao medico. É compreensível, a impotência é uma doença, mas não se deve exagerar o seu perigo à vida, sendo que um homem é capaz de viver sem sexo, apesar de afirmar o contrário. É pior que sintomas de impotência podem indicar outras doenças graves, até as vezes mortais.

Apesar de um homem ter uma vida sexual ativa, não significa que está completamento saudável. Quando um órgão sexual que falha sua destinação pode revelar uma perturbação no organismo humano.

Efeito de medicamentos à ereção

Efeito de medicamentos à ereção

Os especialistas na área associam diretamente o tratamento de disfunção de ereção com doenças cardíacas. Administração de alguns medicamentos pode provocar efeitos secundárias para o musculo cardíaco. O conhecido médico, doutor da medicina, especialista na área de urologia, Aira Sharlip explica: “Qualquer forma de doenças cardiovasculares pode ser diagnosticada a um homem que sofre da disfunção de ereção”.

A ereção do órgão depende do afluxo sanguíneo suficiente ao pénis. Com excitação o órgão sexual se enche do sangue que suporta a ereção. Determinadas doenças vasculares, por exemplo aterosclerose e hipertensão bloqueiam a circulação sanguínea produzindo assim efeito negativo à ereção.

Não se deve pensar que homens com problemas do musculo cardíaco são todos impotentes, quando os homens com perturbação erétil têm problemas cardíacos. Quando a professora da medicina de Nova Iorque Aira Nesh afirma que existe uma corelação entre esses órgãos.

Aira Nesh: “Há medicamentos destinados ao tratamento de problemas cardíacos que poderão provocar impotência”. Ou seja, os medicamentos para tratamento de hipertensão e depressão poderão causar uma disfunção de ereção.

Atenção, antes de tratar impotência os médicos recomendam examinar coração. O mesmo aconselha o doutor Sharlip: “Sempre mando fazer um exame do musculo cardíaco antes de iniciar o tratamento”.

Nível de testosterona é importante

É do conhecimento comum que para garantir ereção um homem, além de desejo sexual e circulação sanguínea em norma, deve ter também a hormona masculina testosterona. Propriamente referida hormona é mais importante no organismo humano, cujo nível regula a duração da ereção.

A representante da Associação Endócrina de Houston Glen Kanninhem diz, que analise mais importante para exame de impotência é definição do nível de testosterona.

Os motivos que contribuem para redução do nível de testosterona no sangue são vários, por exemplo, problemas endócrinas com hipófise, fígado ou testículos, perturbações funcionais de tiroide. O mais importante é hipófise, sendo que contribui à produção de hormona testosterona.

Há uma teoria que a redução principal do nível de testosterona é associada ao processo de envelhecimento do organismo. Kanninhem afirma que o baixo nível da hormona é provocado por idade avançada. Mas tudo isso é teorias não comprovadas cientificamente.

Apesar disso, se raciocinar logicamente, os pacientes com insuficiente produção de testosterona (caso for único problema com ereção) podem tomar essa substância na forma de um medicamento.

Sinais que foram perdidos

É de conhecimento comum que órgãos humanos recebem sinais provenientes do celebro, sendo que a ereção, também, se provoca e termina à base de referidos sinais. Às vezes, a disfunção de ereção é originada por problemas de nervos que por alguma razão são incapazes de transmitir sinais do celebro ao pénis.

A impotência é capaz de se desenvolver quando pessoa sofre de diabetes mellitus ou está sujeita a um tratamento médico errado. Tais situações provocam a formação de neuropatia quando os nervos de braços e pernas se danificam, mas, em determinados casos, os nervos do pénis podem ser danificados. Segundo os dados estatísticos, as pessoas com doenças do caracter endócrina estão mais frágeis às doenças do sistema nervoso. Geralmente são idosos, pessoas com peso em excesso e hipertensão.

Não pense que apenas diabete pode provocar perturbações nervosas e consequentemente a perturbação erétil. Há outras doenças. O doutor Sharlip afirma que pessoas com HIV, perturbações nervosas, também estão frágeis à impotência, sendo que os medicamentos administrados para tratamento dessas doenças poderão provocar perturbações funcionais do sistema nervoso central. As doenças como aterosclerose e danificação da cédula espinhal regista-se efeito produzido ao sistema nervoso que pode provocar, não é obrigatoriamente, uma impotência.

Os homens que consomem bebidas alcoólicas, substancias estupefacientes regularmente, também, frequentemente apresentam a disfunção erétil.

Está comprovado cientificamente que em 90% dos casos a impotência é um problema fisiológico, mas também pode ser provocada por motivos psicológicos tais como medo e intranquilidade antes de ato sexual. Por isso um homem pode ter ereção em um determinado momento e não durante ato sexual. Muitos dos especialistas para definir se o motivo de falta de ereção tem origem fisiológica ou psicológica aplicam o método de ereções noturnas espontâneas. Se a ereção se confirmar é provável que impotência tem origem psicológico. Deve tratar de depressão ou inquietação que provocaram a impotência.

Controlo de especialista

A impotência é registada praticamente em cada homem idoso, tendo de estar acompanhada frequentemente por outras doenças.

A impotência é uma doença e por isso deve ser tratada por medicamentos que não produzem efeitos nocivos ao organismo, mas contribuem à recuperação da função erétil. Todos os especialistas dizem para não tomar medicamentos sem uma consulta medica de um especialista. Os médicos insistem que compra de medicamentos deve ser realizada nas farmácias credenciadas, sendo que administração dos mesmos deve ser feita sob controlo de um medico.

You May Also Like

Impotência: Como preveni-la

Sexo e saúde emocional: será que há ligação

O que é Sildenafil?

Disfunção erétil: como ocorre uma ereção